ÚLTIMAS
recent

37 Políticos serão investigados por formação de quadrilha "Lava Jato"

Quase 40 políticos a serem investigados por formação de quadrilha. É o que consta no inquérito aberto pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Teori Zavascki, na sexta-feira (6), para apurar desvios da Petrobras descobertos pela Operação Lava Jato, da Polícia Federal.
Além de Baiano e Vaccari, apontados como operadores do esquema, 19 deputados, 7 senadores e 11 ex-deputados serão investigados por “esquema criminoso montado” na Petrobras

Quase 40 políticos a serem investigados por formação de quadrilha. É o que consta no inquérito aberto pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Teori Zavascki, na sexta-feira (6), para apurar desvios da Petrobras descobertos pela Operação Lava Jato, da Polícia Federal.

O senador Renan Calheiros, presidente do Congresso Nacional: um dos principais investigados
São exatamente 37 os políticos que serão alvo das investigações por "esquema criminoso montado na Petrobras" para a prática de corrupção e lavagem de dinheiro, de acordo com o pedido do procurador-geral da República, Rodrigo Janot, acatado pelo ministro do STF. Todos fazem ou já fizeram parte do Poder Legislativo do Congresso Nacional.

São, no total, 19 deputados, 7 senadores e 11 ex-deputados os que responderão por formação e quadrilha. Todos são de três partidos – PP, PT e PMDB –, que, segundo Janot, agiam em associação criminosa.

Entre eles estão o senador e presidente do Congresso Nacional, Renan Calheiros (PMDB-AL); o senador e ministro de Minas e Energia no primeiro mandato do governo Dilma Rousseff, Edison Lobão (PMDB-MA); e o presidente nacional do Partido Progressista (PP), senador Ciro Nogueira (PP-PI).

“O aprofundamento das apurações conduziu a indícios de que, no mínimo entre os anos de 2004 e 2012, as diretorias da sociedade de economia mista estavam divididas entre partidos políticos, que eram responsáveis pela indicação e manutenção de seus respectivos diretores”, escreveu Janot na petição enviada a Teori.

Além do inquérito para apurar formação de quadrilha, o magistrado deferiu 21 pedidos para investigar autoridades com suspeita de envolvimento em desvios na Petrobras. Ele delegou ao juiz Márcio Schiefler Fontes, que trabalha em seu gabinete, a condução do inquérito criminal sobre autoridades com prerrogativa de foro, em sua maioria.

Fonte :UltimoSegundo
Notícias Atuais

Notícias Atuais

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Voltar ao Topo
Tecnologia do Blogger.